A incrível geração de mulheres que não te perguntou nada

Imagem

Esses dias acompanhei pelo facebook uma espécie de discussão sobre a mulher contemporânea e relacionamentos amorosos (com mulher contemporânea leia-se a mulher pertencente a classe-média com acesso à universidade etc.). O debate partiu do texto “A incrível geração de mulheres que foram criadas para ser tudo o que um homem não quer“, da blogueira Ruth Manus, que em resumo, segundo a autora: as mina é mais e os caras é menas.

Eu sinceramente fico impressionada com a capacidade masculina de dominar toda uma sociedade, instituir o patriarcado¹ e serem tão burros, meu deus, como homem é burro. (Minha aposta é a de que apelaram pra força física).

Em resposta veio o texto “A incrível geração de mulheres chatas”, da Mariliz Pereira Jorge, que aparentemente acha que a mulher já conquistou o mundo na década de 1950. A classe masculina aplaudiu, nenhuma novidade, mas um dia a gente chega lá. E acho que a essas alturas já devem ter notado que esse não é um texto que faz questão de ser imparcial, até porque imparcialidade nunca foi meu forte.

Mas eu, aqui da altura da minha arrogância em achar que sei alguma coisa da vida só observo e digo: Gente, qual a necessidade disso?

Eu fico impressionada em como as pessoas se perdem nessa busca incansável seja pra ter alguém, estar com alguém ou simplesmente se lamentarem por estar sozinha. Fico impressionadíssima com o fato de que a incrível geração de mulheres que mata a onça e mostra a vara ainda não aprendeu aquela coisinha importante, aquela lá, aquela coisinha de se amar. E convenhamos que, amiga, você tá aí chupando mel e mascando abelha, sinceramente, tem mais que se amar mesmo, tem que se achar show, não se contenta com pouco não, porque ninguém nessa vida vai te amar mais que você mesma.

Eu que sempre fui contra essa ideia de que a felicidade de alguém deve depender de um outro alguém, quase me viro do avesso quando vejo toda essa conversa fiada. E você, fruto dessa geração de incríveis mulheres que assoviam e chupam cana não deveria deixar homemzinho nenhum te diminuir, porque você é show pra caralho, é quase um espetáculo inteiro.

Se posso deixar um conselho fica o de que quando cessarem os beijos, mude de beija-flor.

“Nossaaa, conselho de vagabunda ou de mal amada!!!” Disse o cuzão.

E respondi:

Vem cá, te perguntei?

 

 

1 – O sistema patriarcal enquanto instituição é uma constante social tão profundamente radicada que domina todas as outras formas políticas, sociais ou econômicas, gerando um estado de exclusão e discriminação social da mulher pautado na crença de uma superioridade masculina

Anúncios

34 thoughts on “A incrível geração de mulheres que não te perguntou nada

  1. Não achei que a Ruth colocou as mulheres lá em cima e os homens lá embaixo. Achei que ela simplesmente constata que a maioria dos homens é machista, infelizmente. E acho que as pessoas levaram o texto dela muito a sério. Uma pessoa dizer que gostaria de ter um namorado não quer dizer necessariamente que ela só acha que vai ser feliz assim. Triste (e machista) pra mim é o texto da Marilis. Soa como “nhenhenhem, tenho um homem na minha cozinha fazendo o jantar, sou melhor que você, você que não tem é chata e eu que tenho sou legal”. Chatapracaraí…

    • Vero. Achei q armaram um pampeiro em cima do texto da Ruth. Fica a impressão q rolou um abuso de direito de resposta, sem q a autora tivesse se dirigido a ninguém em particular.

  2. Acho interessante essa critica ao patriarcado que ao meu ver realmente esta totalmente distorcido , o real patriarcado não tem nada a ver com isso , mas interessante como os movimentos feministas surgem com um Q de masculinidade , agressividade, mulheres de carrões, tomando iniciativas atitudes , virando chefes de multinacionais, deixando de serem femininas por uma imposição social ou por achar que o feminino eh fraco, o que não eh verdade e se rendem ao patriarca ado que sorretairamente as compram c promessas mentirosas, alguem ai que ficar cuidando da casa? Fazer os deveres do lar? Enfim um dia talvez poderemos viver pelo equilíbrio entre o masculino e o feminino e descobrir que na união esta o caminho .

    • Porque ter atitude = ser homem. Ser chefe = ser homem. Agressividade, carrões, etc, NÃO SÃO FEMININOS mas ao mesmo tempo você diz que “o feminino não é fraco” (mas não pode andar de carrão nem ser chefe de empresa porque isso é recalque de certeza, é inveja dos super homens fodões!). E aí vem me dizer que estamos distorcendo as coisas. *sambando*

    • Além de não entender UMA PICA de feminismo, além de querer cagar regra sobre o que é FEMININO, além de vir em um texto emponderador pra ficar falando sobre O QUE VOCÊ ACHA que é correto numa mulher, além de tudo isso, acho que você devia pegar sua máquina do tempo e voltar para os anos 40. Você está no tempo errado, filhote. 😦

      Sabe tão pouco de feminismo que ignora completamente que mulheres podem usar maquiagem ou não, se depilar, ou não, ser feminina ou não. E você não tem que cagar uma regrinha a respeito.

    • Concordo com vc, Tiago e pra completar…
      acho que a mulher como geradora de um ser, precisa de uns atributos dos quais os homens nunca terão preparo, as diferenças sempre existirão. Mas podemos ter o equilíbrio!
      No entanto, vivemos numa era de excessos!

  3. Pingback: A incrível geração de mulheres que não te perguntou nada | Dalila em Fúria

  4. O problema não se trata de sexo, mas a nossa capacidade de entender nossas diferenças e se doar ao próximo.
    É muito facil encontrar smiliaridades na qualidade e amenizar os defeitos do mesmo sexo. É um ato de egoismo, e este sim é um grande problema da nossa geração e vai totalmente contra ser mulher que é pura doação na própria alma e por isto DEUS lhe concedeu o dom da maternidade.
    Brigamos por um espaço de igualdade ou até de superioridade na sociedade que é apenas uma casca do verdadeiro sentido da vida.
    Quando nos deixamos guiar pela felicidade, nos posicionamos num tipo de caminho que sempre esteve ali, à nossa espera, e vivemos exatamente a vida que deveríamos estar vivendo. Todo o resto de dilemas é irrelevante 🙂

  5. não sei…este negocio de se amar mesmo, é legal, mas, sem exageros, acredito eu…a mulher segura demais, racional demais, fodona demais..Ego demais..vai sim ficar sozinha…e pra que?…..

    • Será que é… por que ela QUER??

      Já passou pela sua cabecinha (a de cima) que mulher não precisa de homem pra viver? Te contaram essa? Contaram também que se ela quiser casar, namorar, ou ficar solteira, ela PODE?? Revolucionário, não é mesmo???

      Então, mimadinho da mamãe, engula o seu recalque e aprenda de uma vez que mulher não precisa de você pra viver, que se ela quiser ficar sozinha, solteira, para o resto da vida, tendo casinhos aqui e ali, ela pode, que se ela quiser casar, ela pode, que se ela quiser mandar vc pra casa do caralho, ela pode, porque a vida é dela, o ego é dela, a racionalidade é dela, ela é segura, se ama e é FODA pra kct.

      Portanto… foda-se. ❤

  6. O que eu achei mais sarro na resposta ao texto da Ruth foi as mesmas mulheres que compartilharam aquelas idiotices de “Eu não preciso do feminismo pq sou amiga dos homens” compartilharam o texto dela huahuahuahauha coerência mandou um beijo. Amey seu texto cara, me representa, pau no cu de todos os”ainn fui criada pra num ser o que ozomi quer num faço o toddy deles nunca vou casá” hauahuahuah amey amey tou vibrando

  7. Tenho opiniões diversas sobre o texto, não sei qual escolher. Quero dizer, tenho problemas sérios com o feminismo “empoderador” quando ele se baseia em, simultaneamente, diminuir o opositor. Não gosto de textos que colocam os homens como vilões (“os homens instituíram o patriarcado”) como se todo homem, conscientemente, tentasse a todo momento diminuir as mulheres. Quero dizer, quando esse patriarcado foi instituído, afinal? Ou será que as feministas acham que os homens um dia sentaram numa mesa e decidiram “olha, vamos tomar o poder para nós” ? Todo mundo sabe, com um pouco de reflexão, que o patriarcado surgiu naturalmente. Deve acabar? Deve! Mas de forma alguma isso será alcançado vilanizando homens.Por que não? Bem, porque pro feminismo funcionar, precisa-de deles. Os homens já tem o poder. Mesmo se todas as mulheres do mundo fossem feministas, isso não garantiria o poder a elas. Os homens já tem ele. Eles conseguiram o poder em eras remotas em que a humanidade ainda não era civilizada e músculos significavam bem mais que o cérebro.

    Porém, vamos esclarecer algumas coisas. A ideia de achar outra pessoa, a obsessão por depender do outro, NÃO é colocada só pras mulheres. A princesa sempre foi posta com um príncipe? Sim, e o príncipe com a princesa. Desde cedo aprendemos, homens e mulheres, que precisamos de outros para sermos felizes. Então não me venha falar que o Homem, esse terrível ser Maligno, manipula as mulheres a pensarem que precisam dele: o homem também sente essa obsessão pelas mulheres, também é ensinado a persegui-las, também é levado a pensar que, sem elas, não é nada. E não me venham falar “feminismo não é sobre homens”. Se feminismo não é sobre homens, então todo discurso sobre igualdade vindo de uma feminista é MENTIRA. Pra ter igualdade é preciso ver todo o negócio. Quem libertou os escravos (por seus próprios motivos capitalistas egoístas, admito) foram os brancos, porque eles já detinham o poder. Enquanto as feministas não entenderem que os homens não deviam ser seus inimigos, mas seus ALIADOS contra a desigualdade, nada irá mudar e esse tipo de texto não será nada além de um choro tosco ecoando no vazio.

    Dito isso, o patriarcado existe. Mas ele não é uma instituição maligna que os homens tentam a todo momento perpetuar. Do mesmo jeito que uma mulher é Ensinada a sentar com a perna fechada, o homem é Ensinado desrespeitá-la. Os homens precisam ser ensinados corretamente, não vilanizados. Eles são vítimas de sua própria ignorância. E por causa dessa mesma ignorância, acabam fazendo outras vítimas também. Parem de achar que dizer “homens são uma merda, mulheres devem ser independentes” vai mudar alguma coisa. Criar um bando de mulheres irritadas não vai melhorar nada. Militância deste lado só vai criar militância do lado de lá. Toda ação tem uma reação. Então claro, vamos empoderar as mulheres, vamos mostrar que, se elas quiserem, elas não precisam cuidar da casa nem fazer as unhas. Vamos dar a elas escolha. Mas sem fingir que o homem é um merda desnecessário pra sociedade. Vamos ser iguais, ok?

  8. É tão confortável ver a classe oprimida escrevendo merda em um blog com 30 acessos, eu sou o 30. Me divirto, venho aqui levantar o meu ego por controlar o mundo inteiro, de pobres vítimas indefesas,

    Burro ou não, quem manda nessa porra aqui sou eu 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s